Breve História das Revoluções Industriais

Revoluções industriais uma breve história para quem tem pressa industrialevo.com

Na Inglaterra do século 18 se originou um processo de mudanças a nível mundial, tanto em termos tecnológicos e produtivos quanto em termos sociais, políticos e econômico. A síntese que caracterizou este processo foi a mecanização dos processos produtivos. Conheça uma breve história das revoluções industriais.

Bre História das Revoluções Industriais

Laudo SPDA condominios indústrias fspericias.com.br

REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS

As datas são aproximadas e servem como referenciais, pois cada autor menciona um período, podendo variar em alguns anos. Veja uma breve história das revoluções industriais.

Se preferir, acompanhe abaixo no formato Podcast ou em vídeo direto do nosso canal no YouTube.

Período Pré-Revolução Industrial (Produção Artesanal):

Neste período o processo produtivo era manual de duas formas: o artesanal, um sistema de produção doméstico, sendo o artesão, o dono dos meios de produção, do capital (investimento e lucros) e da mão-de-obra, participando de todo o processo de produção;

A outra era a manufatureira, baseada no mercantilismo, onde a burguesia detinha os meios de produção e o capital. Neste contexto haviam os trabalhadores, que trabalhavam em troca de um salário, já havendo separação entre o capital e o trabalho. Havia aqui uma divisão de trabalho, mais etapas, mais trabalhadores especializados em alguma etapa do processo de produção, contudo, a produção ainda era de forma artesanal mesmo com alguma mecanização.

Hospedagem hostinger 20% de desconto cupom industrialevo.com
anúncio: Hospedagem Hostinger

“A origem do termo Manufatura vem do Latim Manus (mão) + Factus (Feito), portanto, Feito à mão. Mesmo com as revoluções e a industrialização, o termo permanece.”

pré revolução industrial-img
Artesões -Sapataria

Como toda forma de manufatura era artesanal, os bens fabricados eram caros, demoravam muito tempo para serem entregues e eram dedicados (exclusivos) ao comprador. O artesão era quem selecionava a matéria-prima e realizava todo o processo de transformação, fosse madeira, metal ou tecido.

As ferramentas eram desenvolvidas pelos próprios artesãos e eram especificas para seus trabalhos. A qualidade do trabalho dependia exclusivamente do talento do artífice. Assim como hoje existem as marcas/modelos preferidos dos consumidores, até a idade média haviam os artesãos preferidos.

Primeira Revolução Industrial (1784 – 1870)

Primeira revolução industrial img teares - Breve História das revoluções industriais
Teares à vapor

Como até então era o artesão quem controlava todas as etapas do processo produtivo, desde a exploração da matéria-prima até a comercialização do produto final, este passou a trabalhar como uma espécie de chefe da fábrica e controlava todo o processo, indo da obtenção da matéria-prima, fabricação do produto final até o gerenciamento de lucros.

No século 19 houveram muitas manifestações trabalhistas, devido à uma disruptura nos meios de fabricação e da nova relação, patrão empregado, considerada exploratória pelos trabalhadores (proletariado).

Manifestações Trabalhistas – Os impactos da Revolução Industrial

  • Movimento Ludista (1811-1812): Com o início da mecanização, os trabalhadores acreditavam que esta era a razão de sua miséria e começaram a invadir fábricas e destruir as máquinas.
  • Movimento Cartista (1837-1848): Luta por direitos políticos e trabalhistas, melhores condições de trabalho, extinção do trabalho infantil, redução da jornada, salário mínimo etc.
  • Sindicalismo: Movimento de caráter ideológico, colocando trabalhadores contra patrões. Destes movimentos surgiram doutrinas anticapitalistas como, Socialismo, Comunismo e Anarquismo.

Principais Inovações/Invenções da Primeira Revolução Industrial

  • O carvão como principal fonte de energia;
  • Surgimento de máquinas a vapor e das locomotivas;
  • Produção do telégrafo, um dos primeiros meios de comunicação “instantânea”.
Robótica programação de robôs industriais industrialevo.com
anúncio: Programação de Robôs Industriais

Segunda Revolução Industrial (1870 – 1969)

Segunda revolução industrial - Breve História das revoluções industriais
FORD – Linha de produção em massa

Este foi o período em que surgiram as primeiras linhas de produção em massa sendo seu maior expoente Henry Ford (Fordismo), utilização dos conceitos de eletricidade como força motriz, e a redução dos custos do produto final.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial aconteceram várias revoluções, especialmente na área da indústria química, elétrica e metalúrgica. Surgiram neste período também, máquinas movidas por potentes motores a vapor. Foi um período de transição vapor/eletricidade.

Principais Invenções da Segunda Revolução Industrial

  • Lâmpada incandescente;
  • Automóvel;
  • Avião;
  • Telefone;
  • Televisão;
  • Cinema.
7 ferramentas da qualidade industrialevo.com
anúncio: 7 Ferramentas da Qualidade

Terceira Revolução Industrial (1969 – ATUAL)

Terceira revolução industrial img - Breve História das revoluções industriais
Utilização da Eletrônica

Os primeiros conceitos  sobre eletrônica começaram a surgir após a Segunda Guerra Mundial, entre as décadas de 1950 e 1970, dando início à terceira revolução industrial, com a utilização crescente de semicondutores, de computadores e robôs nas linhas de produção.

A informatização processada por sistemas digitais, bem como o amplo sistema de telefonia e comunicações que se desenvolveu de forma ostensiva nesse período.

Na transição da segunda para a terceira revolução industrial, surgiram as metodologias de melhoria contínua de qualidade e as de produção enxuta, como o Kaizen, o Kanban, o Just in Time etc. Já na década de 1980 a Motorola desenvolve o padrão 6 Sigma buscando reduzir a taxa de falhas em seus equipamentos eletrônicos.

Principais Invenções da Terceira Revolução Industrial:

  • Criação de computadores industriais;
  • Eletrônica e microeletrônica;
  • Robôs;
  • Celulares;
  • Chips e circuitos eletrônicos;
  • Softwares;
  • Nanotecnologia.
Academia da Automação programação de clp plc do zero industrialevo.com
anúncio: Programação de CLPs do Zero

Quarta Revolução Industrial

Quarta revolução industrial img - Breve História das revoluções industriais

O termo Indústria 4.0 descreve uma visão de como futuramente será uma fábrica. Um complexo sistema com diferentes tecnologias que se entrelaçam e se complementam para otimizar os processos produtivos. Neste contexto, as fábricas serão mais inteligentes, ágeis, flexíveis e dinâmicas.

O conceito sobre a indústria 4.0 pode ser considerado como a capacidade de seus componentes industriais se comunicarem entre si através de sistemas inteligentes ligados à rede, conectando em tempo real pessoas, máquinas e produtos.

A Indústria 4.0, também conhecida como Quarta Revolução Industrial, pode ser dividida nas categorias física, digital e biológica. Tecnologias da categoria física: veículos autônomos, impressão 3D, robótica e novos materiais. Categoria digital: sensores, Internet das Coisas (IoT), blockchain, computação em nuvem e Big Data. Tecnologias da categoria biológica: genética, genômica e biologia sintética (SCHWAB, 2016).

Os processos podem ser mapeados desde a matéria-prima, passando pela manufatura, transporte e entrega aos destinatários. Estes podem ser visualizados (supervisionados ou não) por um simples tablet ou smartphone.

A indústria 4.0 é fundamentada em 9 pilares que ajudam a compreender melhor as tecnologias que são a base para esta revolução.

Infográfico das Revoluções / Evoluções – Breve História das revoluções industriais

Alguns historiadores afirmam que com a indústria 4.0 entraremos na Segunda idade das máquinas, sendo a primeira, a mecanização dos processos de manufatura (primeira revolução industrial).

Evolução revolução industrial infográfico
Infográfico: Revoluções industriais

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Toda revolução tecnológica traz consigo rupturas em nossa forma de produzir e consumir, mas principalmente na forma como nos relacionamos com o trabalho. Funções que não exigem estudo vão se tornando cada vez mais raras, restando apenas os subempregos, mão de obra artesanal e artísticas como opções para aqueles que querem manter a exclusividade..

Com o passar do tempo algumas profissões deixam de existir, novas surgem, enquanto outras agregam conhecimento multidisciplinar. A sociedade sempre deve andar à frente das revoluções tecnológicas, a exemplo da quarta revolução industrial (indústria 4.0) que coexistirá com a Sociedade 5.0, portanto, se revolucionar, se reinventar não se trata de uma opção, mas de uma necessidade.

Banner curso de instalador de energia solar de alta performance. link para o curso

About Flávio Santos

42 Anos, Eng. Eletricista, Eng. Segurança do Trabalho; MBA em Gestão Estrat. de Pessoas Lid. e Coaching; Pós-Graduado em Engenharia Industrial 4.0; Técnico em Instrumentação Industrial; 22 anos de experiência no setor industrial Químico, Petroquímico, Sucro-Alcooleiro, Alimentício, Geração de Energia, Projetos e Gestão. Amante da NBA e Mestre Cervejeiro nas horas vagas.

Seu comentário será sempre bem vindo.